Outras Notícias

montemor o novo 1 20191104 1432864079O CPPC participou nos dias 24 e 26 de Outubro no III Encontros Literários de Montemor-o-Novo - Literaturas e Resistência

Na continuação das iniciativas conjuntas do Conselho Português para a Paz e Cooperação e do município de Montemor-o-Novo, o CPPC participou, a convite da autarquia alentejana, no III Encontros Literários de Montemor-o-Novo – Literaturas e Resistência, que se realizaram de 24 a 27 de Outubro, na Biblioteca Municipal Almeida Faria.

No primeiro dia, realizaram-se duas sessões da iniciativa Biblioteca Humana - Conversas pela Paz - memória dos combatentes de guerra de Montemor-o-Novo, direcionada aos alunos da Escola Secundária de Montemor-o-Novo.

 


Tendo como principal objetivo fomentar a Paz, os dirigentes do CPPC Zulmira Ramos e Armando Farias fizeram uma introdução temática, salientando os caminhos percorridos pelo movimento da paz em Portugal até aos nossos dias, com particular realce para a luta do povo português contra a guerra colonial, pelo derrube do regime fascista e a instauração do regime democrático.

Seguiram-se os testemunhos de ex-combatentes da guerra colonial, a quem os jovens estudantes colocaram muitas questões, mostrando grande interesse e curiosidade em compreender os porquês de uma guerra injusta e cruel. A partilha de memórias e vivências guardas pelos ex-combatentes nesse período trágico da guerra colonial, tantas vezes carregada de emoção, marcou este dia pela Paz e pela Liberdade!

A anteceder esta iniciativa, realizou-se a inauguração da exposição "48 anos de censura em Portugal - A censura no período neo-realista", cedida pelo Museu do Neo-Realismo à Biblioteca Municipal Almeida Faria. A inauguração contou com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, Hortênsia Menino, do Vereador da cultura, Gil Porto, dos dois dirigentes do CPPC e dos alunos da Escola Secundária de Montemor, acompanhados pelas docentes e a Professora Bibliotecária Helena Roquete.


O 3º dia dos III Encontros iniciou-se com as comunicações sobre “A guerra colonial: memória e ficção”. Armando Farias introduziu e moderou este painel que contou com a participação de José Brás, Matos Gago e Domingos Lobo, escritores com obras premiadas no campo da “literatura da guerra colonial”. O tema foi exposto de diferentes ângulos, desde a produção literária da década de 60 à actualidade, passando pela exposição do contexto social e histórico de Portugal durante o período da guerra colonial, até aos factores da guerra, que hoje permanecem, identificados pelos interesses económicos das grandes multinacionais que lucram com as guerras e os objectivos geoestratégicos de dominação imperialista.