Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

 mohammad barakeh 1 20141016 1974367435

O Conselho Português para a Paz e Cooperação afirma a sua solidariedade aos activistas da Paz israelitas perseguidos pelo Estado de Israel, e denuncia e condena, em particular, a brutalidade com que o Governo de Israel reprimiu dezenas de activistas da Paz, na sequência da sua participação numa manifestação contra a recente guerra israelita de agressão ao povo palestino da Faixa de Gaza.

Rejeitando e condenando a mais recente agressão israelita contra a população palestina da Faixa de Gaza, foram organizadas, em Israel, inúmeras manifestações contra as políticas criminosas e acções de guerra do Governo israelita. Muitas destas manifestações foram violentamente reprimidas pela polícia e por grupos de extrema-direita israelitas. Numa manifestação realizada no dia 20 de Julho na cidade de Nazaré, onde participava o deputado israelita Mohammad Barakeh da Frente Democrática pela Paz e Igualdade (Hadash), foram detidas dezenas de pessoas, incluindo vários menores de idade. Muitos destes manifestantes permaneceram detidos por algumas semanas, tendo depois sido colocados em prisão domiciliária apenas lhes sendo permitida a saída durante o dia para a escola ou emprego, sob escolta policial, restrição que ainda permanece para 6 destes activistas.

Reafirmando a sua solidariedade para com todos os que em Israel enfrentam a injustiça e opressão por defenderem a Paz, o CPPC junto a sua voz aos que exigem a libertação imediata e incondicional de todos os activistas injustamente detidos e o fim das inaceitáveis medidas coercivas que lhes foram impostas.