Outras Notícias

Cimeira dos Povos

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), valoriza a realização da Cimeira dos Povos, a ter lugar em Bruxelas dias 10 e 11 de Junho, como espaço de expressão da voz dos povos da América Latina e da Europa, no momento em que naquela cidade se realizará a Cimeira CELAC-UE.

    O CPPC apoia e participará na Cimeira dos Povos e divulga o apelo desta cimeira que subscreveu.

    Cimeira dos Povos: Construindo alternativas
    11 de Junho de 2015 – Bruxelas | Bélgica

    Nos dias 10 e 11 de Junho, Bruxelas será o palco de uma importante reunião entre dois blocos regionais: os países latino-americanos e das caraíbas, organizados na CELAC (Comunidade de Estados da América Latina e do Caribe) e a União Europeia.

    Dirigentes latino-americanos e europeus virão a Bruxelas para discutir diversos sobre vários domínios de cooperação. Enquanto movimentos sociais belgas, consideramos importante que seja também ouvida a voz dos povos da América Latina e da Europa.

    Assim decidimos organizar, uma Cimeira dos Povos. Actuamos em diferentes campos como a solidariedade internacional, o ambiente, os direitos humanos e os média, ao nível nacional e internacional. Sendo Bruxelas o palco desta reunião sentimos ser nossa responsabilidade tomar esta iniciativa.

    A América Latina tem uma longa tradição em Cimeiras dos Povos. Movimentos sociais e organizações populares debatem entre si, em paralelo com a Cimeira oficial, de forma a influenciarem o resultado da cimeira e as políticas dos diferentes países participantes. Esta tradição inspira-nos a mobilizar e organizar os movimentos europeus e belgas para um animado encontro internacional.

    No momento em que o mundo atravessa uma crise nas esferas económica, política, social e cultural os 99% são afectados pela política dos 1%: uma política de austeridade que aumenta os lucros privados e que está longe de ser benéfica para os povos.

    Mas os povos estão a erguer-se e a reclamar o que lhes pertence. Os povos ganham consciência de que existem alternativas à abordagem neoliberal à crise e sentem a necessidade de partilhar experiências e unir esforços na luta.

    Visite a página da cimeira em: https://www.facebook.com/cumbredelospueblos2015?fref=ts

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação participa na Cimeira dos Povos a decorrer em Bruxelas.

  •  cimeira dos povos - bruxelas - 2015 1 20150613 1169207290

     

    Nos dias 10 e 11 de Junho decorreram em Bruxelas uma Jornada de Solidariedade com a Venezuela e a Cimeira dos Povos. Estas duas iniciativas realizaram-se no momento em que decorria, também na capital belga, a Cimeira entre a União Europeia (UE) e os países da Comunidade de Estados Latino-Americanos e do Caribe (CELAC).

    A Cimeira dos Povos foi uma iniciativa promovida inicialmente por organizações e movimentos belgas, entre os quais a INTAL, movimento da paz belga membro do Conselho Mundial da Paz. Posteriormente associaram-se à realização da Cimeira dos Povos centenas de organizações da Europa e da América Latina e das Caraíbas (ver organizações promotoras - aqui).

  •  

    cimeira dos povos 1 20150602 1013205470 

     

     BRUXELAS, 10 - 11 JUNHO de 2015

    Nós os Povos da América Latina, Caraíbas e Europa, reunidos na Cimeira dos Povos em Bruxelas, em 10 e 11 de Junho de 2015, com mais de 1.500 delegados representando 346 organizações e movimentos sociais provenientes de 43 países ,

    Como culminar de um debate unitário, fraterno e solidário, dos participantes em conferências e nas sete mesas de trabalho da Cimeira dos Povos

    Declaramos:

    O nosso apoio à integração regional da América Latina e oposição à intervenção imperialista

    1. Saudamos e apoiamos os processos de integração que dão prioridade e reforçam a autodeterminação e a soberania dos nossos povos, tais como ALBA, UNASUR e CELAC, que reforçaram a unidade latino- americana e que pode ser uma inspiração para uma integração europeia de um novo tipo que enfatize o desenvolvimento económico, os direitos sociais e o bem-estar dos seus povos.